quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Aula de 25 de Setembro - MAS-UFBA. Imaginária

Com as presenças do Anailson, Anderson, Ariadiny, Carlos E Ludimila, a aula de hoje foi o exercício da descrição iconográfica de esculturas do século XVII.










quinta-feira, 18 de setembro de 2014

N. Sra das Maravilhas e N. Sra. do Carmo

Imagens iconografadas hoje, 18 de setembro de 2014

Nossa Senhora das Maravilhas
Nossa Senhora do Carmo

Retomando às aulas. Imaginária

Hoje, ao retomarmos as aulas da Arte Sacra Cristã, no MAS-UFBA, os alunos Carlos, Anderson, Ariadiny, Lara, Ludimila e Genivalda Cândido (mestrado) iniciaram a identificação de duas imagens: N. Sra. das Maravilhas (século XVI-XVI) e N. Sra. do Carmo (século XVII).

Carlos, Val (centro) e Ludimila

Lara (de pé), Ariadiny (centro) e Anderson

Foto-Montagem: À equerda N. Sra. do Carmo, à direita Senhora das Maravilhas


 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

ROTEIRO PARA O SEMESTRE 2014-2

FCH336 - ARTE SACRA
Carga Horária - Total:   68   horas


Teórica
Prática
Estágio
Departamento
Semestre Vigente
51
17
0
Museologia
2014.2
Ementa
Noções de arte religiosa em diversas culturas e segmentos sociais

PROGRAMA


CH
DIA/MÊS
ASSUNTO/PROFESSOR
2
26/8
Apresentação
2
28/8
Texto Panofsky
2
02/9
Id.
2
04/9
Arte Sacra Popular, semierudita, Erudita,
2
09/9
Id.
2
11/9
A arte sacra no Brasil. Texto Etzel
2
16/9
Id.
2
18/9
Ib.
2
23/9
Iconografia – século XVII
 2
25/9
Id
2
30/9
Ib
2
02/10
Iconografia – século XVIII
2
07/10
Id
2
09/10
Ib
2
14/10
Iconografia – século XIX
2
16/10
Id
2
21/10
Ib
2
23/10
Avaliação I – Prova. MAS-UFBA.
2
28/10
Comentários e notas da avaliação I
2
30/10
Pintura Sacra
2
4/11
Percepção visual sobre a pintura
2
6/11
Semiótica da pintura sacra
2
11/11
Id.
2
13/11
Ib.
2
18/11
O erudito e o popular
2
20/11
Id.
2
25/11
Iconografia
2
27/11
Id.
2
2/12
Ib.
2
4/12
Ib.
2
9/12
Ib.
2
11/12
Ib.
2
16/12
Avaliação II – Prova. Mas-UFBA.
2
18/12
Comentários e notas da avaliação II

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

DEFINIÇÕES PARA ESPAÇOS CATÓLICOS

CAPELA

O conceito de capela referencia a pequena igreja, com apenas um altar,  subordinada a uma paróquia; por muitos também chamada ermida, orada, santuário. Dessa variação derivol-se cada um dos locais, em uma igreja, reservados para oração, meditação ou pequenos serviços religiosos, onde fica um altar de santo. É o caso, no MAS-UFBA, dos “nichos” na nave da Igreja de Santa Teresa.
As capelas têm suas origens no século XIII, quando o gótico cria os retábulos, que serviriam para rezas, casamentos, batismos dos servos. Assim havia a separação das liturgias com a nobreza. As capelas tinham os seus altares. Os denominados “laterais”.


ERMIDA:

Hoje, quando se fala de ermida a referência principal é para uma pequena igreja ou capela em lugar ermo ou fora de uma povoação

Porém, em sua etimologia, o termo define, em latim “eremíta,ae” 'lugar deserto, afastado, o que vive ou fica solitário, nesse lugar'. Daí vem o termo que referencia a 'pequena igreja em lugar ermo', trabalhado pelos gregos como “érémos” ou “erêmos”, ou seja: 'deserto'.

IGREJA:

O termo advém do grego ekklésía, que pertencia as 'assembléia por convocação, assembléia do povo ou dos guerreiros, assembléia dos Anfictiões, assembléia de fiéis. Tais reuniões passaram a ter o lugar, a igreja', que, durante a cristandade, passou a ser o ajuntamento dos primeiros cristãos, a comunhão cristã, igreja, templo'. Em termo de arquitetura a igreja passa a ser o espaço destinado a liturgias.



BASÍLICA:


O termo vem do latim “basilìca,ae” “basílica” e do  grego “basilikê”; cuja grafia, no século XV passou a ser “basílica” e no  século XV “basillica”. Em termos de arquitetura, a basílica, entre os romanos, foi definida como um edifício público, coberto e retangular, com três naves separadas por colunas, que abrigava mercados, tribunais ou onde se reuniam comerciantes e pessoas ociosas, e no qual, mais tarde, se congregaram os primeiros cristãos. Daí a designação das primeiras igrejas cristãs que conservaram o mesmo plano desse edifício profano.
Hoje o termo está voltado para a Igreja católica que goza, conforme o direito canônico, de certos privilégios: dispor de altar reservado ao papa, ao cardeal ou ao patriarca, e não estar submetida à jurisdição eclesiástica local, o que lhe confere status internacional e símbolo da igreja patriarcal em forma de pálio, que protegia os prelados durante as procissões.

Por José Cláudio Alves de Oliveira

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Catedral de Ilhéus

Durante o III ENCONTRO BAIANO DE MUSEUS, Cátia Braga, aluna de Museologia-UFBA, documentou uma dos grandes icones do patrimônio cultural da terra de Jorge Amado, a Catedral de Ilhéus, e nela pode, inclusive, observar alguns ex-votos.







segunda-feira, 7 de março de 2011

Praça Tancredo Neves e a Igreja Matriz de Vitória da Conquista

video

Nossa Senhora da Vitória - Conquista, Bahia

Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia, Igreja Matriz.

Praça Tancredo Neves, ao fundo a catedral
Catedral Nossa Senhora da Vitória
Nave central da catedral
Nave central e altar mor
Parcial do forro central
Detalhe de uma das pinturas do forro
Arte decorativa presente
Vista das duas naves
Imaginária
Imaginária
Retábulo do altar mor
Detalhe da arquitetura
Vista parcial da igreja, da parte lateral direita.





quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Bombeiro proíbe crucifixo e causa polêmica em Tatuí-SP

http://br.noticias.yahoo.com/s/17112010/25/manchetes-bombeiro-proibe-crucifixo-causa-polemica.html


Qua, 17 Nov, 05h20


Uma ordem de serviço assinada pelo comandante do Corpo de Bombeiros de Tatuí (SP), capitão José Natalino de Camargo, causa polêmica na cidade. Ele mandou retirar todos os crucifixos e imagens de santos católicos das unidades sob seu comando. Hoje, os 11 vereadores da Câmara local assinaram moção repudiando a medida tomada pelo militar. Camargo alegou que a exibição de símbolos católicos em repartições públicas causa "constrangimento" a pessoas que professam outra fé.


Para ele, imagens e crucifixos fazem "apologia" da religião católica e contribuem para a "manutenção da falsa crença de que aquela religião seria a única detentora da benesse estatal". O capitão invocou ainda a Constituição Federal que, segundo ele, estabelece que o Estado brasileiro é laico e, portanto, a exibição dos símbolos seria ilegal e inconstitucional. A comunicação foi repassada às unidades e postos dos bombeiros sob o comando do Grupamento de Tatuí, com ordem para cumprimento imediato.

Na moção aprovada por unanimidade, os vereadores consideram que o militar usou termos desrespeitosos ao se referir aos símbolos católicos. "O ato é arbitrário, com expressões equivocadas, desrespeitosas e imprudentes sobre a religião católica, refletindo total falta de sensibilidade", diz a nota da Câmara.

De acordo com os vereadores, a ordem de serviço fere o livre direito de professar a fé, também defendido pela Constituição. O comando regional da Polícia Militar (PM), ao qual se subordinam os bombeiros, não se manifestou a respeito. O pároco de Tatuí, padre Milton de Campos Rocha, estava em viagem e não foi localizado.

segunda-feira, 8 de março de 2010

VIA SACRA: EXPOSIÇÃO DA ARTE SACRA CRISTÃ


quinta-feira, 7 de maio de 2009

INCÊNDIO EM SÃO LÁZARO




















No sábado passado, dia 2 de maio, aconteceu, à noite, um incêndio que destruiu um dos pequenos retábulos lateria da igreja de São Lázaro, em Salvador. Segundo depoimento de uma funcionária, o incêdio foi à noite, e por sorte, um padre conseguiu apagá-lo. Suspeita-se de um curto circuito. Porém, vale lembrar que é costume acenderem velas nas banquetas os retábulos.






segunda-feira, 6 de outubro de 2008

ARTE CEMITERIAL

video
Arte cemiterial. Do programa Rede Bahia
Revista. TV BAHIA, Salvador.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

MUSEU DE ARTE SACRA DE SÃO PAULO

Fonte: Revista Geográfica Universal, maio 1987. p. 71. Foto Vic Parisi

terça-feira, 15 de abril de 2008

CRISTO MORTO CRUCIFICADO


Por Sarah Maggitti



Cristo Crucificado morto em cruz romana, sobre base em pilar estilizado, descansada em quatro pés, em forma de bola, com elementos geométricos e fitomorfos, terminada com interseção que baseia a cruz. Haste terminada com ponteira em medalhão e guirlandas vazadas, tendo em sua parte inferior placa ladeada por guirlanda, tendo ao centro, em relevo médio a inscrição “INRI”. Parte inferior da haste em medalhão, orlada por raios e guirlandas vazadas. Extremidade da haste orlada em degraus. Travessão com ponteiras e orlas idênticas a da haste. Resplendor com elevações sugerindo nuvens, ladeando todo o transcepto, com rosácea e pedra semipreciosa no núcleo. Cristo com a cabeça pequena, ovalada, pendendo para o lado direito; carnação em tonalidade creme; cabelos ondulados, em tonalidade marrom; orelha esquerda parcialmente coberta; sobrancelhas em tonalidade marrom, levemente arqueadas; olhos fechados; nariz aquilino; boca pequena, fechada; barba e bigode cheios, em tonalidade marrom; tonalidade vermelha na testa, sugerindo sangue; pescoço comprido, trazendo tonalidade vermelha, sugerindo sangue; braços arqueados, com pigmentação vermelha, sugerindo sangue; mãos levemente fechadas, cravejadas com um cravo em cada palma; tronco nu, trazendo gotejamento em tonalidade vermelha, sugerindo sangue; cintura e genitália cobertas por perizônio em tonalidade dourada; joelhos arqueados em fronte, com gotejamento em tonalidade vermelha, sugerindo sangue; pé direito sobre o esquerdo, com um cravo, com tonalidade vermelha, sugerindo sangue. Cristo possui coroa de espinhos em sua cabeça.

Observação: A Imagem pertence ao século XIX e encontra-se em bom estado de conservação
Imagem disponível em www.mas.ufba.br

domingo, 6 de abril de 2008

SANT'ANA E NOSSA SENHORA MENINA

por Ayala Nascimento


Conjunto escultórico formado por duas imagens femininas, sendo a principal Nossa Senhora Sant’ana e a secundária Nossa Senhora Menina. Base em forma de pilastra retangular em tonalidade creme com orla e quina dourada. Sant’ana está com os pés calçados levemente à mostra em tonalidade preta contendo elementos geométricos em tonalidade dourada; veste alva drapeada com estofamento em tonalidade azul e elementos fitomorfos e florais tendo em toda sua extensão orla dourada; manto drapejado, levemente esvoaçante para a esquerda, caindo da altura do ombro direito, cobrindo o braço do mesmo, envolvendo as costas e o ventre, em tonalidade azul no anverso com elementos fitomorfos e, no verso em tonalidade vermelho com elementos fitomorfos e orla dourada em toda sua extensão; braço e mão direito levemente erguido, tendo os dedos indicador e médio suspensos. Pescoço comprido; cabeça média, ovalada, pendente à esquerda; boca pequena, fechada em tonalidade rósea; nariz aquilino; olhos abertos, de vidro, em tonalidade preta; sobrancelhas médias, arqueadas em tonalidade marrom; orelha direita aparente; carnação creme; cabelos ondulados em tonalidade marrom. Túnica cobrindo totalmente a cabeça caindo à altura dos ombros passando pelo colo sugerindo gola, em tonalidade dourada. Braço esquerdo e mão aberta caindo em direção a Nossa Senhora Menina, que traz os pés calçados levemente aparentes em tonalidade preta com esgrafiados dourado. Veste alva drapeada em tonalidade azul com elementos fitomorfos, gola e orla dourada; manto no verso em tonalidade azul com elementos fitomorfos e orla dourada e no anverso tonalidade vermelha com elementos fitomorfos e florais, que cai da altura do ombro esquerdo envolvendo as costas, preso abaixo do livro de tonalidade vermelha que está sob a mão esquerda. Pescoço comprido; boca pequena, fechada; bochecha saliente em tonalidade rósea; nariz aquilino; olhos abertos de vidro em tonalidade preta; sobrancelhas finas e arqueadas; cabelo ondulado em tonalidade marrom, caindo à altura dos ombros; túnica levemente esvoaçante para o lado esquerdo, em tonalidade dourada, caindo à altura dos ombros.

sábado, 29 de março de 2008

NOSSA SENHORA DAS MERCÊS


quarta-feira, 19 de março de 2008

POLÍCIA ENCONTRA COCAÍNA EM IMAGEM DE SANTA EM SP

Traficantes estão aproveitando a Semana Santa e a Páscoa para tentar enganar as autoridades. A Polícia Civil de Santo Antônio do Aracanguá, a 555 quilômetros de São Paulo, apreendeu hoje uma imagem de Nossa Senhora Aparecida com cerca de 300 gramas de cocaína e pasta de cocaína em seu interior, que fora enviada pelos Correios. Ontem, patrulheiros da Polícia Rodoviária de Penápolis, também no interior paulista, apreenderam 16 cestas de Páscoa recheadas com 6,3 quilos de maconha, transportadas de ônibus de Foz do Iguaçu, no Paraná, para Brasília.


A santa, de 32 centímetros de altura, foi postada pelos Correios em 14 de março e chegou a Aracanguá na manhã de ontem. O desempregado Reginaldo Souza da Costa, de 21 anos, foi preso em flagrante após retirar o pacote com a santa, postada em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. Ele chegou a despistar os investigadores que o seguiam, mas foi detido numa lan house. Os agentes perceberam um furo na base da imagem de Nossa Senhora e desconfiaram do peso. No interior, eles encontraram balões de aniversário cheios de cocaína e pasta base da droga.


Ontem, policiais do Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) prenderam o jardineiro Jusélio Viana, de 24 anos, morador de Brasília, que estava dentro de um ônibus que fazia o itinerário do município gaúcho de Cruz Alta a Barreiras, na Bahia. O ônibus foi parado numa blitz na rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), em Penápolis. Os policiais encontraram 16 cestas de Páscoa dentro de uma grande caixa de papelão. Ao abrir as cestas, os patrulheiros se espantaram com o cheiro de maconha. Viana disse à polícia que receberia R$ 500,00 para buscar a droga em Foz do Iguaçu e levá-la até Brasília, onde receberia o dinheiro pelo transporte.
Fonte: UOL Notícias. Disponível em
Acesso em 19/03/2008 - 18h14